Ser, querer e fazer

⁷ Que diremos então? A lei é pecado? De maneira nenhuma! De fato, eu não saberia o que é pecado, a não ser por meio da lei. Pois, na realidade, eu não saberia o que é cobiça, se a lei não dissesse: “Não cobiçarás”.
⁸ Mas o pecado, aproveitando a oportunidade dada pelo mandamento, produziu em mim todo tipo de desejo cobiçoso. Pois, sem a lei, o pecado está morto.
⁹ Antes, eu vivia sem a lei, mas quando o mandamento veio, o pecado reviveu, e eu morri.
¹⁰ Descobri que o próprio mandamento, destinado a produzir vida, na verdade produziu morte.
¹¹ Pois o pecado, aproveitando a oportunidade dada pelo mandamento, enganou-me e por meio do mandamento me matou.
¹² De fato a lei é santa, e o mandamento é santo, justo e bom.
¹³ E então, o que é bom se tornou em morte para mim? De maneira nenhuma! Mas, para que o pecado se mostrasse como pecado, ele produziu morte em mim por meio do que era bom, de modo que por meio do mandamento ele se mostrasse extremamente pecaminoso.
¹⁴ Sabemos que a lei é espiritual; eu, contudo, não o sou, pois fui vendido como escravo ao pecado.
¹⁵ Não entendo o que faço. Pois não faço o que desejo, mas o que odeio.
¹⁶ E, se faço o que não desejo, admito que a lei é boa.
¹⁷ Neste caso, não sou mais eu quem o faz, mas o pecado que habita em mim.
¹⁸ Sei que nada de bom habita em mim, isto é, em minha carne. Porque tenho o desejo de fazer o que é bom, mas não consigo realizá-lo.
¹⁹ Pois o que faço não é o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer, esse eu continuo fazendo.
²⁰ Ora, se faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, mas o pecado que habita em mim.
²¹ Assim, encontro esta lei que atua em mim: Quando quero fazer o bem, o mal está junto a mim.
²² Pois, no íntimo do meu ser tenho prazer na lei de Deus;
²³ mas vejo outra lei atuando nos membros do meu corpo, guerreando contra a lei da minha mente, tornando-me prisioneiro da lei do pecado que atua em meus membros.
²⁴ Miserável homem eu que sou! Quem me libertará do corpo sujeito a esta morte?

Romanos 7:7-24

Publicar um comentário